abobadas aladas

Ontem foi um dia preguiçoso, gostoso e sem culpa! Não tive aula, o Félix passou o dia em casa e a gente ficou assim…preguiçando…all day long!

Preparei uma saladinha, porque você sabe como é essa coisa de salada, né?! Tá tudo prontinho, a mãe natureza já tomou conta de fornecer tudo o que vai em uma salada. De você ela só espera o dificílimo trabalho de cortar e misturar tudo em uma saladeira com um molho cremoso e isento de culpa, que unirá todos os ingredientes, numa explosão de sabores (é…eu ando vendo muito programa de gastronomia!).

Pra sobremesa, um bolo de sorvete, que já estava nos esperando no congelador desde o dia anterior. Escandalosamente delicioso e com um gostinho de infância (tá, eu confesso que depois de 2 porções generosas dessa chocolática sobremesa gelada bateu uma mini culpinha). Receita daqui.

E pra não dizer que o dia foi improdutivo, Félix fez bagunça no terraço! Espalhou um monte de terra no chão com a desculpa de que queria descompactar e oxigenar a terra. E eu que não posso chorar, ri. Ri e fotografei a bagunça (pra servir como prova, caso eu voltasse atrás e cometesse um disparate). E ainda aproveitei pra tirar umas fotos da nossa micro hortinha, que anda toda linda, cheirosa e gostosa:

Por último, uma imagem que resume o dia:

 

 

 

 

 

 

 

 

Muitas saudades de passar por aqui, mas nenhum tempo!

Preciso mostrar as fotos de um novo cantinho daqui de casa, da minha nova-velha mesinha de azulejo hidráulico, da cadeira de ferro, que ainda não está pintada mas que já tá dando o ar da graça por aqui. Essa semana vou me organizar, fotografar tudo o que eu quero mostrar pra vocês e colocar aqui, combinado?

Bom, enquanto isso não acontece, mostro pra vcs o lindo spa que a loja Farm ofereceu temporariamente para suas clientes:

Olha ela aí, minha gente! E mais: gaiolinhas que fazem as vezes de prateleiras para esmaltes.

Vcs repararam que o piso foi revestido com grama sintética?! Eu ADOREI a idéia!

Acabou-se que era doce 😦 Foi até o finzinho de agosto… Mas a inspiração ficou, né?!

 

P.S. Nesses dias que eu fiquei sem aparecer por aqui aconteceram tantas coisas…Inclusive o triste acidente com o bonde de Santa Teresa que vitimou tantas pessoas, inclusive o motorneiro, o querido Seu Nelson. Sinto que é também meu dever manter vcs informados do descaso das autoridades, que não vem de hoje. É por isso que deixo o link para um dossiê sobre o acidente e para um vídeo com a fala do deputado Marcelo Freixo.

http://amast.org.br/assuntos/tranportes/bonde/dossie-da-verdade/

http://www.youtube.com/watch?v=C6RvjvdbRgY

Decidi fazer um jantar esnobe ontem. Jantar esnobe para uma geladeira pobre. Mas sabe aquele ditado gringo, “se a vida te deu limões faça uma limonada”? Então se na sua geladeira só tem uma abóbora murchinha e uma batata-doce pedindo aposentadoria, faça um curry! É sério, curry é a comida mais fácil do mundo e ainda dá pra aproveitar alguns legumes esquecidos na geladeira!

Mas se a gente puder complicar um pouquinho mais a gente complica, né?! Daí eu decidi fazer uma receita que eu descobri há pouco tempo, um espetinho de frango Satay. E como eu tenho um TOC nutricional, salada de lentilha rosa com cara e sabor de comida de natal.

Eu também adoro inventar nomes esnobes para as comidas (foram muitas horas-aula de culinária na TV), então lá vai o cardápio esnobe da noite passada; curry indiano de batata-doce e abóbora com pimenta rosa, espetinho de frango tailandês com molho satay e salada marroquina de lentilha rosa. Um jantar étnico (já reparou que tudo o que não é ocidental é étnico?!). Mais ou menos como se você fosse jantar na casa de alguém e essa pessoa te servisse um jantar sul-americano: feijoada, ceviche e parrillada. Tá, não foi tão insólito assim:

E depois do jantar, a Amélia brincando com as folhinhas (o que seria da internet sem as fofuras dos gatos?):

Idem ao jantar indiano; se quiserem as receitas podem pedir que eu coloco em outro post!

P.S. Desculpem a qualidade das fotos. Não dá pra bancar a fotógrafa de alimentos com a barriga roncando!

Eu até pensei que ficaria sem fazer nada enquanto estivesse usando botinha (sim, eu ainda estou com o pé imobilizado)…

Então tá, né?!

Mas pra falar de flores…

Vcs já sabem que eu adoro um guarda-chuvinha pra drinks, né?! É tudibão! Transforma qualquer chuvinha numa tempestade em copo d`água! Aqui no blog ele já deu o ar da graça:

Esses das fotos são embutidos no próprio canudo. Eu sempre tenho um saquinho com alguns aqui em casa. Na SAARA, no Rio de Janeiro, vc encontra por menos de R$ 3,00.

Eu sei que o Natal ainda está um pouco longe (ou não), mas diga se essa não é a guirlanda mais tropical do mundo?! (Family Chic)

Ai, cansei daquelas lanternas japonesas tradicionais! (Craft Tutorials)

E por fim…Não há nada que a Martha Stewart não ensine a fazer, né?! Então se você quiser personalizar ainda mais a sua festinha, faça você mesma os gruarda-chuvas!

Você só descobre o quanto é amada quando em solidariedade a você o seu marido quebra a perna junto com você e ficam os dois imobilizados, vendo a vida passar, sentados no sofá da sala. Na saúde e na doença, na fartura e na fratura, né?!

Fazeroquê? São as ironias da Vida (a essa hora dona Vida deve estar se acabando de rir).

Mas…mudando de assunto, o meu marido amoroso faz aniversário no final do mês (e provavelmente ainda estará usando bota ortopédica) e estamos planejando uma coisinha simplinha, mas muito, muito legal. E atenta aos detalhes como sou (pra desespero do Félix), já vou logo pensando nos guardanapos, nos canudos, na toalha…

Cones de papel pra colocar salgadinhos, pipocas e outras guloseimas.

É gringo, então nem posso me animar muito. Mas não é mega legal guardanapo imitando folha de caderno?!

E esse aí?! Será que vai dar trabalho pintar gravatinhas em…tipo…200 guardanapos de papel?!

Essa daí foi dica do Félix. E dá pra fazer com outras frutas.

Dia desses mostro mais idéias!

Fonte: 1, 2, 3, 4.

 

Eu tava olhando uns arquivos de fotos aqui no computer e daí eu encontrei umas fotos do festival Arte de Portas Abertas (lembra q eu falei dele por aqui?!). E lembrei q eu tinha prometido postar algumas fotos. Promessa é dívida:

Como eu já havia dito, o APA é uma oportunidade única de conhecer os ateliês dos artistas instalados em Santa Teresa. E de quebra a gente acaba conhecendo algumas lindas casas, como essa da foto, que eu já tava namorando há um tempão!

E eu fiquei simplesmente encantada com a brasilidade dessa artista plástica (A Adriana lembrou que o nome da artista plástica é Patrícia Brasil_eu não achei nenhum portfólio dela na net). Eu me apertaria um pouquinho mais nesse puxadinho, só pra ter essa dondoca azulada por aqui!

Cores, ladrilho hidráulico, madeira de demolição…tudo junto e misturado!

Morri com essa chaise!

Adorei ver a artista com a mão na massa!

Um formigão, no maior estilo “Querida, encolhi as crianças!”. Chegou no festival e tá até hoje por aqui…

Uma linda e estilosa menininha desenhava em seu sketchbook (!!) enquanto grafiteiros coloriam os muros de Santa. Tenho a impressão de que ela é quem estava criando os grafites!

O casal aqui fazendo pose na frente da casa (na verdade é só uma fachada) que um dia será nossa!

Muitas coisinhas vintages.

E pra terminar o dia, um pôr-do-sol estonteante ao lado de amigos no Parque das Ruínas!

Descobri uma paixãozinha por uma tendência em decoração; a industrial. Esse estilo se caracteriza pelo uso do concreto ou cimento queimado, pés direitos altos, tijolos aparentes, aço…

Acho que foi esse loft que me deixou assim:

Lindas cadeiras Fauteuil A56 da Tolix (Já reparou q as cadeiras Tolix estão dominando o mundo?!).

A Smeg rosa, toda lindona, compondo o ambiente da cozinha.

Os tijolos aparentes pintados de branco e o teto com madeira de demolição me conquistaram!

Esses são os quartos infantis mais legais que eu já vi. Sério! A primeira cama estilo patente toda feita de tubos e cotovelos de ferro (será que dá pra tentar?), a parede tbm de tijolos aparentes, mas em tons de cinza e bege…Foge totalmente do lugar comum rosinha-azulzinho-tolinnho.]

Vc talvez esteja se perguntando pq eu, que gosto tanto de cores, objetos mais artesanais me apaixonei por esse loft. Por tudo o que eu já falei e por mais uma coisinha: Amplitude! Nesses dias de clausura é disso que eu tô precisando…

Via:http://www.micasarevista.com/casas/loft/loft14/loft14_1.shtml

Thaís Berzins

Arquivos

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 75 outros seguidores