abobadas aladas

De portas fechadas

Posted on: 16/04/2011

Eu e Félix amamos cozinhar…

Estamos sempre pensando na próxima refeição. O moço tá lá na cozinha agora preparando o almoço e eu já tô pensando na janta. E sempre tem que ter algum toquinho gourmet, um algo mais, sabe?

Cozinhar é um prazer tão grande que a gente brinca que um dia vai abrir um restaurante. Êeehhh, sonho impossível…

Essa semana a gente tava assistindo um programa bem legal, sobre uma disputa de restaurantes de portas fechadas (close door restaurant), um conceito genial, criado lá fora e exportado para o mundo (inclusive aqui pro meu Brasil varonil). A idéia é bem simples; chefes de cozinha ou até mesmo cozinheiros metidos a chefes, abrem as portas de suas casas para pouquíssimas pessoas, por um preço um pouco mais em conta, e servem comida, literalmente, caseira. Sem perder o charme, mas com toda a descontração de casa.

Em São Paulo, um dos mais charmosos e famosos restaurantes undergrounds é o Casa dos Cariris, de comida Mexicana. Veja só quanta delicadeza:

O legal, além da comida boa, é satisfazer a curiosidade de conhecer a casinha das pessoas. E diga se essa não é um mimo, com tudo pronto para comemorar o Dia de los Muertos!(foto daqui)

Outro, no estilo portas fechadas, muito bacaninha, é esse, visto nesse blog:

Mesinha posta, parede decorada com papel de presente…convidativo!

Essa história só tá começando aqui no Brasil. Lá fora, já uma história de sucesso. A cozinha dessa moça, por exemplo, vive cheia! Seu restaurante secreto, que fica em sua casa , em Londres, já virou até matéria na Food and Wine Magazine:

Demais, né?!

Que vontade de fazer um restaurante secreto aqui em casa…vcs viriam?

12 Respostas to "De portas fechadas"

Thaís, boa tarde. Amo seu blog começando pela sua foto que é de menina travessa. Transmite alegria. Te conheci através do blog da Viviane, a quem admiro muito também.
Menina, pelo blog, pela simplicidade e pela sua garra o seu “restaurante secreto” já é um “sucesso”.
Posso não ir pessoalmente, mas estarei vibrando e lhe enviando muitas energias positivas. “Arriba”
Abraços carinhosos de Maria Teresa

Bem, quando vc der uma passadinha aqui pelo Rio, então vc vem no restaurante, aliás, será o menor restaurante do mundo! hahahahha
Muito obrigada pela força, Maria Teresa! Vc é uma querida!

Eu iria, ein! Pena que não moro no Rio…😦

É muito legal esse conceito de restaurante-casa. Além de todas as qualidades que vc citou ainda temos a certeza de uma comida limpinha, fresca. Já ouvi cada história horrivel a respeito das cozinhas de certos restaurantes (alguns bem caros até).

Eu fui num restaurante mais ou menos assim lá em Lençóis (na Chapada Diamantina). Na placa tinha escrito o nome (que eu não lembro) e embaixo ‘Slow Food’. Achei interessante e fomos comer lá. Foi ótimo!

O preço era mais ou menos caro (média de 30 reais por prato pra uma pessoa), era tipo uma sala grande com mesas e cadeiras e com uma cozinha integrada no mesmo ambiente, sem paredes. A decoração era bem simples, quase minimalista mas com toques bem aconchegantes. A cara da dona, uma gaúcha simpática.
Só não era exatamente igual a estes restaurantes que você citou por alguns detalhes: não tenho certeza se a dona morava lá na casa e não era só ela que cozinhava, tinha umas 3 moças ajudando.

Aliás, ir pra Chapada é uma experiência única! Além das belezas naturais famosas, a cidade de Lençois (que é onde as pessoas ficam hospedadas) é um sonho!! É bem minúscula, praticamente só uma praça com as casas antigas em volta mas é cheia de atelies e restaurantes excelentes, pousadas boas e baratas! Muitos turistas de todo canto do Brasil e do mundo foram pra lá e resolveram ficar, então a cidade ficou com uma mistura cultural muito interessante.

Que comentário gigante! Desculpa, é que uma coisa puxou a outra. hahahaha

Morro de vontade de conhecer a Chapada Diamantina. Deve ser mesmo incrível!
Sobre o o restaurante (já tô me achando dona de restaurante), acho muito legal essa idéia do slow-food..Aproveitar uma boa comida, papinho gostoso, sem hora pra acabar!

Este segmento está chegando agora nas grandes cidades daqui, só com um pouco mais de pompa, menu elaborado, ingredientes gourmet e precinho nada camarada. É bem comum nas pequenas cidades, principalmente as que recebem turistas, as pessoas abrirem suas casas para o almoço, jantar, café, até mesmo para dormir. É uma forma de sair do marasmo e ganhar um dinheirinho. Já comi um frango caipira sensacional e por precinho bem convidativo.. a casa era simples, mesa comprida, espaço para uma dúzia de pessoas e bancos antigos de madeira… delícia.

Vc tem razão…os preços não são muito convidativos…
De qualquer maneira, a idéia é ótima. Comer num lugar diferente, conhecer a casa do cozinheiro, ver a comida sendo preparada, bater um papinho sem hora pra acabar…

Também adoro cozinhar! E como sou apaixonada por decoração, adoro fazer pratos bonitos e coloridos, daqueles que enchem os olhos e o apetite!
Acho que também iria no seu restaurante, mesmo que ele seja só imaginário…por enquanto.
Beijos

Então já está convidada para o meu restaurante imaginário!

Tha, quando isso acontecer, eu entro na vibe Sidney Magal e saio cantando: “Me chama que eu vouuuuuuuuu..”.

Super aprovei a ideia. Se precisar de algo e eu puder ajudar, mesmo que seja um apoio virtual, me grita. Queria eu ter tanta coragem e habilidades na cozinha. hahahaah

Agora, na semana santa, fui escalada para fazer o almoço..e não é um almoço qualquer..o povo quer comida baiana. Deus me guarde. hahahahah

Prometo tirar fotos, sendo tragédia ou não. É, eu sou uma sem vergonha mesmo.😀

Postei no meu blog umas almofadas de fuxico..tudo de lindo.🙂

Beijos bom domingo e excelente semana.

É, moça…vc vai ter que rebolar pra fazer esse almoço de páscoa! hihihih
Quanto ao meu restaurante imaginário…já tá convidada!
Grande beijo, Mamá!

Oi!!! Isso é muito comum no nordeste! Toda cidadezinha de interior, principalmente no sertão, tem casas-restaurante. E o melhor é que é bem barato. Só p vcs terem uma idéia, tem uma cidade chamada Águas Belas, em Pernambuco, onde almocei com meu noivo e pagamos apenas 20 reais (ela só cobrou 14…), com direito a sobremesa e refri. E dava p pelo menos 4 pessoas. Comida deliciosa! Casa de Dona Maria, depois da pedra grande rsrs. Em regra, comemos muito bem e barato no sertão nordestino!
E o restaurante em Lençóis se chama “cozinha aberta slow food”, em contraposição à idéia de fast food. Não é o mesmo conceito de casa-restaurante não, o legal é que lá nós vemos a comida sendo feita, junto às mesas. Delícia tb! Adoro comer hahahaha bjs!

O Nordeste é o futuro do nosso país! Acho tudo tão autoral, tão autêntico…
Tudo o que é novidade lá fora, como essa coisa de comer na casa de alguém, lá já existe há muito tempo, e com precinho muito mais justo!
Temos algumas coisas em comum; adoramos comer e adoramos o Nordeste!
Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Thaís Berzins

Arquivos

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 75 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: